Sunday, December 29, 2013

Uma grande novela, que é meu país

Uma grande novela, que é meu país



Eu li no jornal que a Pilar descobriu que o Félix vendia hot dog na rua. Vi também que o Félix decidiu pedir perdão para a irmã Paloma. Nossa, que emoção! Na minha ignorância sobre as coisas nacionais, demorei um pouco para perceber que, o que falavam, não era sobre o mensalão nem sobre o Barbosa. Mas a história estava ali, toda natural, parecia fazer parte da vida. Até vi, na minha mente, o coitado do Félix dando um duro danado, comercializando o cachorro quente. E olha, que eu nunca vi o tal de Félix na minha vida!
Descobri o óbvio, tratava-se de uma novela, a tal de “Amor à Vida”. Apesar de eu amá-la também – a vida, não a novela -  segui em frente e comecei a ver as notícias do mundo real. E, quanto mais eu lia, percebi que as coisas da vida eram tão surreais quanto às da novela.  E fiquei confuso, quase tudo podia ser novela, quase tudo podia ser a vida normal. Normal? Ninguém mais sabe o que é isso. Só sei, como dizia o Chico nos “Saltimbancos”, que era tudo igual, estava tudo misturado “na grande gaiola do meu país”...
Lembrei-me, também, por associação, da época em que se faziam novelas como “Pavão Misterioso” e “O Bem Amado”. Fiquei com saudades do Odorico Paraguaçu. O personagem de Paulo Gracindo, esse sim, era um político autêntico, apesar de “malcaratista militante e juramentado”, copiando suas próprias palavras. Pelo menos, ele ia direto ao assunto, já se sabia quem ele era. Hoje em dia, não dá mais para saber: tantas cobras e lagartos, tanto engano, tanta dissimulação.  Existe até malandro, disfarçado de homem da fé e homem da fé disfarçado de parlamentar que, no fim, é mais malandro do que o próprio. Disfarce é o que não falta.

Pois é, como sempre digo, nem novelas se fazem mais como antigamente.

o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o


Essa vida da gente

Para adquirir este livro no Brasil 

--------------------

Para adquirir este livro nos Estados Unidos 

No comments:

Post a Comment