Wednesday, April 2, 2014

Internet, lendas e mitos


Internet, lendas e mitos



Há decadas atrás, a informação seguia um árduo caminho até chegar ao seu ponto final. Os jornais precisavam  mandar repórteres ao local, escrever a matéria, revisar, passar por todo o processo de impressão e, depois de tudo isso, ainda distribuir o jornal. Os rádios e as TVs também precisavam de pessoal de campo para colher o material e preparar a redação final. No processo, a notícia já nã era mais a mesma notícia, as coisas tinham evoluído ou perdido a importância inicial. Para preencher os vazios e a lentidão, o povo criava mitos, fantasias, falsas análises. Para corrigi-los depois, era muito difícil. Certamente temos hoje, por causa disso, várias versões de fatos, até históricos, que não são necessariamente acurados.
Agora tudo mudou. Qualquer um é repórter tirando fotos com seu celular, no exato momento do acontecimento. As correções e atualizações também são imediatas. Os órgãos de imprensa precisam usar estas fontes, pois se forem esperar por seu pessoal chegar o lugar do acontecimento, vão perder o “momento”. Claro, os profissionais ainda precisam ir até os locais dos fatos para fazerem uma cobertura mais sofisticada, mais profissional. Mas as “manchetes” não podem esperar, qualquer um pode ser a fonte. Além disso, não é necessária uma grande estrutura para gerar notícias. Certas pessoas, por sua fama ou por habilidade, acabam sendo fornecedores de material. Basicamente, todo mundo é repórter, todo mundo tem algo para falar. Qualquer um pode tuitar.

É nesse ponto que as coisas se complicam. Muitas fontes, muitas pessoas falando e escrevendo o que querem. Muitos, muito mesmo, não resistem. Inventam “fatos”, criam “manchetes”, aparecem com novidades falsas de  todos os tipos, em todo lugar. Muita gente querendo ficar famosa, aparecer. Transformam o que viram. Ironicamente, neste aspecto de confiabilidade, voltamos para a mesma situação de décadas atrás. Muita mentira, muita notícia falsa, texto falso, fotos falsas e vídeos falsos também. A única diferença é que agora, essas lendas, essas falsidades, esses mitos, foram multiplicados por mil. Melhor dizendo, mil vezes mil...

No comments:

Post a Comment