Saturday, June 14, 2014

A numeróloga



A numeróloga

A numerológa enumerou, sem economizar palavras ,as desvantagens dos números apresentados pelo pobre rapaz. Chance de ganhar na loteria, nenhuma. Chance de encontrar um emprego melhor, nenhuma. Uma mulher que o amasse. Muito abaixo de zero. Com aqueles números, não dava.  Datas de nascimento, casamento e outras mais, nada servia. Números, horríveis números.
Cabisbaixo, pensou, pensou. A mulher, um pouco aflita com o tempo, que ela obviamente contava em números e, certamente, em reais, estava com pressa. Sinto muito, ela disse, três vezes, esperando que o cliente pagasse e saísse, para que o próximo pudesse entrar, ver seus números e pagar. Era uma simples questão de números. Foi, então, que o coitado perguntou se havia alguma coisa que ele pudesse fazer para melhorar. Ela, paciente, explicou. Certamente, você não pode mudar sua data de nascimento. Certamente, outras datas de coisas que já aconteceram, você não pode mudar. Você pode, entretanto, mudar seu nome. Os números correspondentes às letras também vão mudar. Aí ele perguntou, se ele fizesse isso, quanto dava para mudar. Um pouco, não muito, ela disse, quase perdendo a paciência. E é difícil mudar o nome, ele perguntou. Um pouco e custa dinheiro, ela logo respondeu.
O rapaz pensou, pensou. Enquanto isso, a profissional numerológica se impacientava.
De repente, ele se levantou. Falou, então para a mulher dos números, meio sem graça, que estava enumerando mentalmente as notas que tinha na carteira e elas eram muito poucas. Iria usar em algo mais otimista, mais útil em sua vida. Saiu, rapidamente, sem pagar.
Ela ficou furiosa e calculou rapidamente quanto tinha perdido, o que era fácil. O jovem, por outro lado, ficou o resto da vida tentando acertar aqueles números ingratos que o destino lhe dera. Mudar o nome, não senhor. Era bonito, gostava dele. Além disso, esse negócio de numerologia é uma grande besteira!

<><><><><><><><><><><><><><><>





No comments:

Post a Comment