Monday, March 7, 2016

Mulher, mulher



Mulher, mulher...

Diz sim, quando, na verdade é um não que quer dizer. Fala não, mesmo querendo dizer sim. Chora quando está muito feliz, dizendo que está chorando, mas é de alegria. Quando está muito triste, finge uma alegria para não dar o braço a torcer. Diz estar com ódio, apesar de estar doendo de amor. Finge amar quando, às vezes, está com raiva. Diz que você não presta, mas não quer viver sem você. Diz que você deve se sentir livre, fazer o que quiser, mas fica louca quando você faz o que quer. Quando você está quieto, diz que está assim porque não a ama e não quer dizer. Quando você está alegre e fala muito, desconfia que é de outro alguém que você gosta mais.

É assim, cheia de contradições, cheia de coisas que não dá para entender. Sejamos honestos, ninguém consegue entender uma mulher. E, ainda assim, a gente não consegue, por um só minuto, sem ela viver...


ooooooOOO0OOOooooo

A crônica acima não faz parte do livro abaixo

Essa vida da gente

Para adquirir este livro no Brasil 

--------------------


No comments:

Post a Comment