Tuesday, August 30, 2011

Kit de Sobrevivência









Kit de Sobrevivência

Estou ouvindo despretenciosamente um programa de rádio – NPR – aqui nos EUA e de certa forma me divirto com os telefonemas dos ouvintes. Acabou de passar um furacão e a pergunta é: “O que você levaria num kit de emergência no caso de uma catástrofe?” Um ciclone, um grande terremoto, uma inundação sem precedentes, uma desastre nuclear... Uma ou duas semanas sem energia elétrica, sem locomoção, sem alimentos, sem comunicação, como nos filmes do gênero. Se você pensa que as respostas eram mais ou menos parecidas, está muito enganado. O que é importante para uns, para outros é absolutamente dispensável e vice-versa. Temos aquele cidadão que acha fundamental levar palavras cruzadas e outros passatempos deste tipo, pois, afinal, sem energia elétrica, como as crianças vão passar o tempo? O outro precisa de linha de pescar e anzol, porque, obviamente, sem transporte, os alimentos não vão chegar e há um rio perto de sua casa. Água, alimentos enlatadados e lanternas estão entre os mais cotados. As coisas mais estranhas, no entanto, passam pela lista. Até, que mais estranho do que tudo, um cidadão fala, sem hesitar, que ele só precisa de duas coisas. A apresentadora do rádio, incrédula, pergunta: Só duas?  Ele confirma e vem com a surpresa da noite: Uma bíblia versão “James King”, até aí ótimo, o espírito precisa estar forte nessas horas...e depois, pasmem, uma “shotgun”, uma espingarda!

Veja bem, entendo perfeitamente alguém querer uma bíblia, eu também acho que levaria uma. Nada tenho contra a espingarda, embora não levasse uma pois sou contra armas, mas acho normal alguém querer levar.  O que me deixou confuso foi a combinação  e mais ainda, a ênfase que foi dada à versão da bíblia que ele queria: “James King version”. A inevitável pergunta da apresentadora  foi: “A arma é para caça ou para defesa pessoal?” Sem hesitar ele respondeu que era para ambos. Confesso que fiquei perplexo e imagens vieram à minha mente. Um intruso tentando entrar em sua cabana improvisada, no meio da apocalíptica cena pós-catástrofe e levando um tiro. Fatal? Se não foi fatal, ele daria outro, de misericórdia? Daí, então, se sentaria sobre a pedra e abriria a bíblia. Que parte leria? Talvez uma passagem do Velho Testamento, talvez Provérbios, falando do homem precavido! Ou a parte que fala “olho por olho”? Talvez fosse caçar e alvejasse um cervo. Que parte leria nas sagradas escrituras para agradecer o alimento? Como esquartejaria o animal sem uma faca? Lembra-se? Tudo que ele queria levar era a bíblia e a espingarda...Se não houvesse nem caça nem intruso, ele só leria a bíblia. Talvez devesse ler o livro de Jó.
Foi a sociedade que produziu este espécimen? Uma espingarda e uma bíblia?
Se você estiver perguntando, tenho uma resposta, sim. Levaria água, alimentos não perecíveis e a bíblia certamente é uma excelente lembança em tempos dantescos assim. Mas a parte da espingarda...Se tenho a bíblia, tenho que ter fé suficiente para não usar a espingarda... Acho. Revisando, o que não combina mesmo, é ele não levar mais nada. Se não vai levar mais  nada, ou vai só com a espingarda e usa a lei de terra sem lei,  ou vai na fé e só usa a bíblia. Agora já estou ficando confuso, mas posso garantir, que há alguma coisa de errado com a reposta do cidadão...


<><><><><><><><><><><><><>

Lançamento (contos de ficção científica):

Histórias do futuro    ($ 3.99- e book)

Brasil


Thursday, August 25, 2011

Mão esquerda, Mão direita


Mão esquerda, Mão direita


Houve uma época em que trabalhava transportando pacientes que estavam se utilizando do sistema de saúde do governo americano. Esta é uma das “histórias”, e realmente aconteceu (outros nomes, outros detalhes..talvez piores...)
E lá vem o americano,Bill Crossings, uma mistura de redneck,  de sulista, de americano tradicional. E me explica que o Doutor tal, que trabalha para o sistema de Previdência do Governo, quer que ele volte para o trabalho. O outro médico,  indicado pelo seu advogado,  diz que de forma alguma ele está curado o suficiente para o trabalho.Ele provavelmente nunca mais vai poder fazer sua tarefa , na construção civil, como fazia  antigamente. Muitas limitações, falta de força na mão, perda de habilidade, etc. Um  doutor diz uma coisa, outro diz outra, dependendo da direção para onde os dólares devem ir, quem vai ser beneficiado ou quem vai ter de gastar e quanto. Daí surge uma outra discussão, muito importante, que vai definir toda a história da mão machucada do cidadão: DISABILITY. E então Bill me explica entusiamado a sofisticada matemática da “disability”. Como funciona o percentual de incapacidade, como os médicos e advogados disputam, a favor  e contra o paciente, os percentuais de incapacidade para o trabalho. E ainda é mais sofisticado, a incapacidade é permanente ou transitória? Bill me explica que aquele “son of a bitch” de médico disse que sua incapacidade era só de 15%! Idiota, quero ver ele conseguir fazer o meu trabalho, duro, com a mão daquele jeito!! Deve estar ganhando dinheiro da seguradora. Ele sentia que sua “disability” era de cerca de 37%, embora o seu próprio advogado já dissera que o máximo que iria conseguir de disability era de cerca de 25%. Outros números apareceram, para baixo , para cima, enquanto Bill me explicava a importância do percentual. Eu não tinha certeza de estar entendendo..Ele estava falando de sua própria mão, quanto iria ganhar se o percentual fosse maior ou menor?Talvez fosse mais importante ter um percentual alto, para ganhar mais dinheiro do seguro, mesmo que sua mão não ficasse tão boa???  Não, não pode ser...Mas no final de minha corrida, um pouco antes de eu desembarcá-lo, tudo ficou muito claro....
Disse a ele: “Bill, ainda bem, que, pelo menos foi a sua mão esquerda, pois você é destro, certo.....?
"Não, não, meu amigo...Se fosse a direita seria muito melhor..A indenização seria pelo menos o dobro..."
Daí tudo ficou muito claro e passei a ter uma visão mais clara do “sistema”.

<><><><><><><><><><><><><>

Lançamento (contos de ficção científica):

Histórias do futuro    ($ 3.99- e book)

Brasil


Wednesday, August 24, 2011

Cinderela e Branca de Neve são presas...

Este mundo está ficando: Cinderela e Branca de Neve são presas em protesto na Disney

Não é necessário assustar as crianças. As verdadeiras princesas estão seguras nos castelos, ou onde quer que seja o lugar onde elas devem ficar...
Na verdade, as pessoas que foram presas eram apenas funcionários da Disney, que vivem em um mundo de fantasia também. Fantasia reversa, no entanto, com o salário que ganham e com a "mágica" que precisam fazer  para sobreviver com eles... Além disso ja faz algum tempo ( 2008) e, esperamos, mais nenhuma pessoa de linhagem real seja algemada de maneira tão cruel. De qualquer forma é "funny" ler nos jornais:

Cinderela e Branca de Neve são presas em protesto na Disney


Leia a notícia completa no "Estadão" da época:

Cinderela e Branca de Neve são presas em protesto na Disney

<><><><><><><><><><><><><>

Lançamento (contos de ficção científica):

Histórias do futuro    ($ 3.99- e book)

Brasil


Saturday, August 20, 2011

Peter, Paul and Mary e o Bicho Papão

Peter, Paul and Mary e o Bicho Papão


Lá estou eu pesquisando para meu blog e me deparo com a encantadora música “500 Miles”. Vou direto para Peter, Paul and Mary, gravação dos anos 60. Assisto ao video no Youtube em branco e preto e me emociono com recordações  dos anos 60. Enquanto ouço, passo meus olhos pela tela e vejo um comentário, recente, que me chama a  atenção. Alguém, provavelmente uma mulher, e pelo seu comentário bem mais jovem do que eu (ela diz “They're b4 my time.”, referindo-se ao conjunto). Quando li pela primeira vez  não vislumbrei o alcance do que significava. Não, não pela profundidade, muito pelo contrário. A internauta, muito excitada diz que adora a música deles (“I love their music!”). Que bom, eu também, por inúmeros motivos, assim como mais de meio milhão de pessoas que viram o vídeo. A seguir uma pergunta estonteante: “Será que eles eram comunistas em seus ideais?”Talvez fosse uma brincadeira, uma gozação...Mas não, a seguir, ela confirma sua dúvida angustiante: “I sincerely would like to know. Thank you.” O muro de Berlin caiu, a União Soviética ruiu mas a sua pergunta angustiante continua no ar...Será que até agora ela ainda recebe influências do Macartismo? Talvez tenha pesadelos onde monstros comunistas horríveis, com as máscaras de Peter, Paul and Mary venham torturá-la, colocando agulhas debaixo de suas unhas...Sua mente, confusa, tenta colocar juntos a beleza da canção e o terror da ameaça deste regime nefasto e abominável...mas agora em 2011? Tenho certeza de que ela é uma pessoa boa, cheia de bons princípios e que se preocupa com os outros, mas, sinceramente...O que faz um ser humano ter medo de uma coisa assim, agora, nestas circunstâncias? Já foi, já passou. Talvez parte do que está ali se explique pelo seu apelido: “ wonderwoman10”.
Comentário seguinte, as nuvens se dissipam. Não sei quanto tempo levou a mulher maravilha em seu pânico antes que “cschoon1213” viesse em seu socorro e dissesse “I have never heard of any reports or rumors that they were communists in any way.” Que alívio, que sensação de paz! A mulher maravilha pode respirar novamente pela explicação do outro inernauta. De qualquer forma, o poder do trio “comunista”  foi seriamente ameaçado pelo falecimento da Mary em 2009. Ainda assim, você já pensou que estrago um dueto comunista pode fazer para as instituições em pleno 2011? A única explicação que eu consigo encontrar para o fenômeno é que a mulher maravilha nasceu, foi para a escola, e então alguém lhe explicou o que era comunismo. Por um certo tempo ela foi “curtindo” este medo e quando ele estava bem maduro e inserido em seu cérebro, por uma mágica, ela parou de ler jornais, assistir a tv, conversar, viver...Até que ela ouviu “500 Miles”...
“Poor child”, durma tranquila à noite, o bicho papão não vai te pegar e a ninguém mais. Ele está foragido ou preso para nunca mais voltar. Pode viver em paz...

Estados Unidos, uma tarde de agosto de 2011.